sábado, 20 de outubro de 2018

REZA DAS 21 TARAS

Barche Lamsel, The Prayer to Guru Rinpoche that Removes All Obstacles from the Path.

Verses of the Eight Noble Auspicious Ones / Tashi Geypa Prayer

SADHANA DE TARA VERMELHA


SADHANA DE TARA VERMELHA
da tradição Sakyapa

por Palden Tundrup
Trad. Lama Kunga Rinpoche


Aqueles que desejem praticar Tara Vermelha devem primeiro receber iniciação e depois buscar um lugar apropriado para praticar.
Prece de Refúgio

No Buddha, Dharma e Excelente Comunidade
Vou para Refúgio até alcançar a Iluminação;
Pelo mérito da generosidade e demais perfeições
Que eu possa estabelecer todos os seres na Budeidade.
(3 vezes).

Geração de bodhicitta

Pelo benefício de todos os seres vou atingir o estado de um perfeito Buddha; com este propósito meditarei na Venerável Tara Vermelha. (3 vezes).
Instantaneamente eu me transformo em Tara Vermelha. No meu coração a vermelha sílaba HRIH. Raios de luzes saem da sílaba.

OM VAJRA SAMADZAH

Assim Jetsunma é invocada e aparece em minha frente cercada de Budhas e Bodissatvas.
Ofereço os cinco oferecimentos dos sentidos:
OM ARYA TARA SAPARIWARA ARGHAM PADYAM PUSHPE DHUPE ALOKE GANDHE NAIVIDYE SHABDA AH HUM

E repito a reza de sete ramos três vezes em frente a este campo de refúgio:

Na preciosa Tríplice Jóia eu tomo refúgio, e confesso individualmente todos os pecados. Eu me alegro pelas ações virtuosas de todos os seres, e me lembro da Iluminação do Buddha. Em Buddha, Dharma e na Assembléia Excelente eu tomo refúgio até que Iluminação seja alcançada. Para realizar o meu próprio objetivo e o dos outros, produzo o Pensamento de Iluminação. Tendo produzido este excelente Pensamento de Iluminação, convido a todos os seres. Pratico o agrado e a excelente conduta da Iluminação, e dedico o mérito de forma que todos os seres possam alcançar a Iluminação.

QUATRO PENSAMENTOS ILIMITADOS

Possam todos os seres vivos ter felicidade e a causa da felicidade.
Possam todos estar aparte da tristeza e da causa da tristeza.
Possam todos não estar separados das felicidades que são sem tristeza.
Possam todos se libertar do apego ao próximo e do ódio ao distante, vivendo com equanimidade.
(Três vezes).

VISUALIZAÇÃO

Penso que todos os dharmas são indiferenciados de Samsara e Nirvana e vazios por suas próprias naturezas.

OM SVABHAVA SUDDHO SARVADHARMA SVABHAVA SUDDHO HAM

Da vacuidade a letra PAM aparece e se transforma num assento de flor de lótus vermelho, sobre o qual aparece a vermelha sílaba AH que se transforma num assento de lua sobre o qual aparece a vermelha for utpala no centro da qual aparece a vermelha sílaba semente HRIH.

Raios de luzes saem de HRIH em todas a direções homenageando todos os Budhas e Bodhissatvas e liberando todos os seres no estado da Venerável Tara.

Os raios de luzes são reabsorvidos em HRIH e na flor utpala e então eu sou apareço na forma da venerável libertadora Tara, corpo vermelho-rubi, uma face, dois braços e três olhos.

A mão direita segura um gancho, a mão esquerda segura um lasso marcado com a vermelha flor utpala. Meu corpo é jovem e vigoroso como de dezesseis anos de idade e estou vestido com vestes abundantes e preciosas.

Estou sento em posição de lótus, pernas meio cruzadas, e meu corpo está ornado de preciosas jóias.

Raios de luzes vermelhas me circundam.

Na minha testa a sílaba branca OM, na garganta a vermelha AH e no coração a azul HUM.

Eu produzo a Samayasattva na forma da sílaba semente HRIH  sobre o assento de uma lua vermelha  no meu coração.

Raios de luzes partem em todas as direções, invocando todos os Buddhas e Bodhissatvas sob a forma de Tara Vermelha.

OM VAJRA SAMADZAD

Então os deuses de sabedoria são invocados e eu faço os oferecimentos:

OM ARYA TARA SAPARIWARA ARGHAM PADYAM PUSHPE DHUPE ALOKE GANDHE NAIVIDYE SHABDA AH HUM

Recito esta pequena prece ou a reza das 21 Taras:

As coroas dos deuses e semi-deuses se curvam 
para vossos
pés de lótus; eu me prosterno para a Mae-Tara, 
a salvadora de toda
pobreza.
DZA HUM BAM HO
(Os deuses de sabedoria são absorvidos em mim).

Raios de luzes partem da sílaba semente HRIH invocando os cinco deuses de consagração:

OM VAJRA SAMADZAH

Faço o oferecimentos dos 5 sentidos para os deuses de consagração:

OM VAJRA KULA SAPARIWARA ARGHAM PADYAM PUSHPE DHUPE ALOKE GANDHE NAIVIDYE SHABDA AH HUM

Peço que me concedam as bênçãos;

OM SARVA TATHAGATA ABHISHEKATA SAMAYA SHRIYE HUM

O Budha Amittabha e os deuses de consagração dizem:

Como os Tathagatas banharam o Budha no tempo de seu nascimento nós aqui purificamos você com esta água de consagração.

Dizendo
OM SARVA TATHAGATA ABHISHEKATA SAMAYA SHRIYE HUM
eles derramam a água de consagração sobre minha cabeça. A água enche o corpo e excede. Amithaba aparece na coroa de minha cabeça.

Então me sento em estado de meditação, claramente visualizando meu corpo já compreendendo a vacuidade desta aparência.

RECITAÇÃO DO MANTRA
No meu coração está a sílaba semente HRIH sobre a flor utpala.Raios de luzes saem do mantra que está ao redor da sílaba semente, invocando as bênçãos de todos os Budhas e Bodhissatvas.
Suas compaixão e bênçãos retornam como vibrantes luzes vermelhas que são absorvidas no meu coração. Ao mesmo tempo, eu imagino que toda a riqueza dos três reinos é atraída.
OM TARE TUTARE TURE SAMTARA HRIH SOHA


Recito o mantra o maior tempo possível.

CONCLUSÃO

Quando eu saio desta meditação, a auto gerada deusa de sabedoria se projeta em frente de mim e eu faço os oferecimentos:

OM ARYA TARA SAPARIWARA ARGHAM PADYAM PUSHPE DHUPE ALOKE GANDHE NAIVIDYE SHABDA AH HUM

Recito esta pequena prece ou a reza das 21 Taras:


As coroas dos deuses e semi-deuses se curvam 
para vossos
pés de lótus; eu me prosterno para a Mae-Tara, 
a salvadora de toda
pobreza.

PRECE DE PEDIDO

Por favor conceda o supremo e os siddhis comuns a mim e a todos os seres sensientes.

Todos os méritos são dedicados.

GE WA DI YI NYUR DU DAG
por este mérito que eu rapidamente
PHAG MA DROL MA DRUB GYUR NE
Atinja o estágio de Arya Tara
DRO WA CHIG KYANG MA LÜ P A
e que possam todos os seres sem exceção
DE YI SA LA GOD PAR SHOG
Também atingir o mesmo estado


sexta-feira, 19 de outubro de 2018

SADHANA LONGA DE.VAJRAYOGINI



SADHANA LONGA
DE VAJRAYOGINE: A MEDITAÇÃO INCOMUM DA VENERÁVEL VAJRAYOGINI DE ACORDO COM A TRADIÇÃO DO MAHASIDDHA NAROPA
por Nesarwa Ngawang Kunga Legpa’i Jungne
NAMA SHRI VAJRAYOGINI
(Visualize com clareza os objetos de refúgio:)
-Mantendo com firmeza, eu e todos os seres, seres sencientes iguais aos confins do espaço, de agora até que a essência da iluminação seja atingida,
tomamos refúgio nos gloriosos, sagrados gurus;
tomamos refúgio nos abençoados e realizados buddhas;
tomamos refúgio nos sagrados dharmas;
tomamos refúgio nas nobres sanghas.

(Repita esta prece de refúgio tanto tempo quanto possível, e com as mãos postas no coração, reze deste modo:)

Para o sagrado guru e as três preciosas jóias eu me prosterno e tomo refúgio através do curso de minhas vidas futuras, eu lhes suplico, concedam suas bênçãos sobre mim.

O pensamento de iluminação:
Tendo atingido o estado da perfeita budeidade, eu devo libertar a todos os seres sencientes do vasto oceano do samsara, com este propósito estou praticando o profundo método do caminho de Vajrayogine(3x).


Recite três vezes; então execute a meditação de Vajrasattva:
Instantaneamente, na coroa de minha Cabeça, sobre um lótus e um assento de lua, aparece o bhagavan Vajrasattva Sri Heruka. Seu corpo é de cor branca e ele tem uma face e dois braços. Segura o vajra e a ghanta com que abraça a Mãe. Ele está adornado com seis ornamentos de osso, ele senta com as pernas cruzadas em vajrasana e sua cabeça é coroada pelo senhor de sua família, de forma idêntica a si próprio. No seu colo está a mãe consorte, Vajragarvi cujo corpo é de cor branca e  segura a kartâri e o vaso-de-crâneo. Ela é adornada com cinco mudrâs de osso.
No coração do Pai está a sílaba HUM sobre um disco de lua. Raios de luz dali saem atraindo a jñana-amrita, a quintessência de todas as mentes de todos os tathâgatas das dez direções, o que é absorvido dentro do HUM.
Suplique deste modo:
Ó Senhor, eu suplico, garanta suas bênçãos para que limpe e purifique, desde as suas profundas raízes, todas as ações nocivas acumuladas, as obscuridades, as faltas, as fraquezas e os defeitos que eu e todos os seres sencientes acumulamos em todos os nossos tempos de vida desde o sem princípio do samsâra!
Graças a esta súplica, amrita se derrama do HUM, preenchendo o corpo do Pai, passando por sua passagem-vajra, entra no lótus da Mãe-consorte e preenche o seu corpo. Uma corrente de amrita flui por todo o corpo do Pai e da Mãe e penetra pela coroa de minha cabeça e dissipa todos os carmas negativos, maus espíritos, as ações nocivas e obscuridades que são expelidas através do meu ânus, ureta e através da sola de meus pés como água ferruginosa, sangue, pus e horríveis insetos. E tudo o permanece no meu corpo é preenchido com amrita branca.
Enquanto contempla desta maneira, recite o seguinte mantra vinte-e-uma vezes:
OM SHRI VAJRA HERUKA SAMAYAM ANUPALAYA HERUKA TVÊNO PATSHTA DRDHO ME BHAVA SUTOSHYO ME BHAVA ANURAKTO ME BHAVA SUPOSHYO ME BHAVA SARVA SIDDHIM ME PRAYACCHA SARVA KARMA SUCA ME CITTAM SHREYAH KURU HUM HÁ HÁ HÁ HÁ HOH BHAGAVAN VAJRA HERUKA MA ME MUNCA HERUKO BHAVA MAHA SAMAYASATTVA AH HUM PHAT
Eu, iludido por minha ignorância, quebrei e prejudiquei os votos de samaya, ó Guru e protetor, garanta o refúgio! Ó condutor, possuidor do vajra, síntese da grande compaixão, eu tomo seu refúgio, ó condutor dos seres! Confesso e reconheço todo o prejuízo de raiz e de ramo da samaya do corpo, palavra e mente. Garanta suas bênçãos para limpar e purificar desde as suas verdadeiras raízes toda acumulação de ações nocivas, obscuridades, faltas e decadência!
Por esta súplica, Vajrassatva Pai e Mãe se dissolve em luz e é absorvido dentro de mim. Meu corpo fica livre de máculas, como um globo de cristal.


A longa meditação de Guru-yoga:
No espaço em frente aparece uma mansão celestial decorada de luzes de conhecimento transcendental puro e não dual.
Quadrada, com frontões triangulares e quatro portas, completamente dotada de todos os sinais, que tem no seu centro um trono de jóias sobre oito leões em cima do qual está um lótus multicor e um assento de disco de lua e de sol.
Nele está o compassivo guru-raiz na forma de Buddha Vajradharma.
Seu corpo é vermelho, uma face e dois braços
segurando o vajra e o sino cruzados sobre seu coração.
Coroado por nós de cabelos,  suas pernas estão cruzadas em postura vajrasa.
Jovem, dezesseis anos de idade,  adornado de sedas e todos os ornamentos de osso e jóias.
Sentados em assentos de lótus e lua ao redor dele estão –
o Buddha Vajradhara,


Vajrayogini,
Mahasiddha Naropa,
os irmãos Phamthing,
Lokkya Sherab Tseng,
o tradutor de Mal – Lodu Dagpa,
o grande Reverendo Sakyapa Kunga Nyingpo,
Acarya Sonam Tsemo,
Jetsun Dagpa Gyaltsen,
o Mestre dos Ensinamentos – Sakya Pandita Kunga Gyaltsen,
Senge Gyaltsen de Yarlung,
o grande abade Sonal Gyalchog,
Jamyang Namkha Gyaltsen,
o Detentor do Vajra – Lodu Gyaltsen,
o grande Jetsun Doringpa,
Tsarchen Losal Gyatso,
Jamyang Khyentse Wangchuk,
o grande abade Lapsum Gyaltsen,
Vajradhara Wangchuk Rabten,
Gonpon Sonan Chogden,
Rinchen Sonam Chodrup,
Khyenrab Champa Ngawang Lhundrup,
Ngawang Kunga Lhundrup,
Ngawang Kunga Lkepa´i Jungne,
Ngawang Kunga Lodo de Sakya,
Champa Namkha Chime,
Champa Namkha Lekpa´i Lhundrup,
Chime Tempa´i Nyima a sagrada monja,
Ngawang Rinchen o perfeito guia,
Vajradhara Champa Kunga Tenzin,
Champa Naljor Jampal Zangpo,
Jamyang Khyentse Wangpo,
Jamgon Loter Wangpo,
Jamyang Chokyi Nyima


e o soberano grande Vajradhara de incomparável virtude
Ngawang Shenphen Nyingpo.

Todos aparecem na forma de Vira Vajradharma.

Seus corpos são de cor vermelha, tendo uma face e duas mãos. Cada uma de suas mãos direitas toca o damaru da bênção da vacuidade, enquanto cada uma de suas mãos esquerdas segura na altura do coração uma caveira transbordante de néctar. No ombro esquerdo de cada um repousa o bastão khatvanga e eles estão sentados com suas pernas cruzadas no vajrasana. Adornados com seis ornamentos de osso, jovens e no apogeu da juventude, eles constituem a quintessência de cada refúgio.

Na testa de cada um há a sílaba OM, na garganta AH, e no coração HUM.

Raios de luzes se propagam do HUM de dentro de seus corações para invocar de seus próprios lugares a linhagem de preceptores, a assembléia de deidades patronais que pertencem às mandalas, os Iluminados, bodhisattvas, viras, dakinis e a legião de guardiães da doutrina.
OM VAJRA SAMAJAH       JAH HUM BAM HOH
Cada um desses refúgios também se transforma na essência de todos os refúgios.
Com as mãos postas, então reze: Eu me prosterno aos pés de diamante do preceptor cujo corpo é como jóia, e por cuja bondade a própria grande bênção nasce num instante.
Recite esses versos com outros conhecidos hinos de preces e convenientes rezas para a linhagem de preceptores. Se, entretanto, desejar abreviar, recite simplesmente o único verso acima e então reze aos preceptores:

Para o preceptor raiz de grande bondade e para a mais perfeita e sagrada linhagem de preceptores eu peço concedam sempre suas bênçãos sobre mim ao longo de todas as minhas vidas (3x).

Seriamente e com grande devoção e também com prosternações, recite esta prece três vezes, etc. de acordo com suas inclinações

Então realize os oferecimentos externos:

Todas as minhas posses materiais estão em minha frente,
À direita estão todos os inimigos e espíritos malévolos,
à esquerda estão os parentes e amados.
e atrás e por todos os lados aqueles seres em direção a quem sentimos indiferença.
Nós oferecemos todos ao preceptor raiz e a cada um dos preceptores da linhagem,
em retorno todos os preceptores ficam felizes e aceitam esses oferecimentos.
Além disso ficamos livres de todas as ações errôneas de ganância, de apego, de aversão, de desejo e ignorância.

Depois disso, as Senhoras de oferecimento, portando vários oferecimentos, saem do meu coração e preenchem o espaço.
Transformando em objeto de oferecimento meu próprio corpo e riqueza, assim como dos outros, elas apresentam isso ao preceptor raiz e à linhagem de preceptores.
Os preceptores ficam satisfeitos e aceitam esses oferecimentos.
Tendo imaginado isso, profira os seguintes mantras, acompanhados dos mudras:


OM VAJRA PUSHPE AH HUM      OM VAJRA DHUPE AH HUM   OM VAJRA ALOKE AH HUM   OM VAJRA GHANDHE AH HUM   OM VAJRA NAIVIDYE AH HUM  OM VAJRA SHABDA AH HUM


A seguir as Senhoras oferecem  os cinco objetos de desejo, as sete jóias, os oito emblemas auspiciosos e um infinito número  de oferecimentos de celestiais, vestimentas e assim por diante.

Em seguida visualize que as Senhoras retornam para ser reabsorvidas novamente dentro de mim [reabsorção].

O oferecimento interno: Portando caveiras, as Senhoras outra vez saem do meu coração. Com as caveiras elas colhem o néctar dos cinco conhecimentos transcendentais que consistem nas cinco puras carnes e nos cinco puros néctares e que são tomados dos seus lugares naturais. Isso elas oferecem ao preceptor raiz e para cada um dos preceptores da linhagem os quais, por seu turno, bebem através de feixes de luz e ficam tomados de imaculadas bênçãos.

Pense assim e diga: OM AH HUM. Tendo dito isto, as Senhoras são reabsorvidas em mim [reabsorção].

(Oferecimento secreto).
Novamente, de meu coração imensuráveis Senhora Padmavati e outras saem cantando doces canções, dançando de felicidade dissolvem-se uma a uma até finalmente tornarem-se Vajrayogini e abraçar o corpo do Guru – encantando-se nas felicidades de absorção meditativa.

(Oferecendo de Realidade). Coloque a mente no estado de desapego que é a realização de que os oferecimentos, o que oferece e o recipiente não existem de nenhuma maneira seja qual for.

(Método de Kusali de Acumulação de mérito). Vajrayogini que é a essência de minha mente, do tamanho do dedo polegar, ascende através da veia central no meio do meu corpo desde meu coração e sobe pelo brahmarandhra aberto no cimo da cabeça.

Ela olha para baixo, para meu corpo que aparece grande, gordo, oleoso e brilhante.

Apenas tocando com a faca curva da mão direita no nível das sobrancelhas a metade superior do crânio cai e é colocada em cima de três crânios na minha frente, os quais são do tamanho do Monte Sumeru.

Isto (esta capala) se torna cada vez maior em extensão aos confins dos três mil mundos.

Então, com a faca curva, ela corta a perna esquerda, depois a direita, depois o corpo em três pedaços, e joga isto na capala.

Quando ela joga o corpo inteiro ali dentro, isto fica cheio de uma montanha de carne, um oceano de sangue, e uma grande planície de ossos.
Meditando sobre isso, diga três vezes:
om ah hum há hoh hrih (3x).

O fogo ardente de consciência transcendental faz isto derreter e ferver até tornar-se um oceano de néctar - branco, doce de gosto, frio ao toque, e dotado da mais alta potência – um vasto oceano de néctar que só através de lembrar-se tem o poder de conceder a consciência transcendental.

Refletindo assim os ingredientes da capala são abençoados.

Um infinito número de Senhoras saem de meu coração para colher o néctar com capalas que levam. Isto elas oferecem ao Guru Raiz e à Linhagem de Gurus que participam disto através de tubos de luz de suas línguas e são deleitados.

Quando o oferecimento é feito para o Guru Raiz, diga:

Para a boca do muito compassivo Guru Raiz – om ah hum.

As Senhoras retornam e se dissolvem em mim [reabsorção].

Novamente, como antes, elas saem para oferecer sete vezes ao Guru Raiz.

Também, desta maneira, pode-se oferecer para cada um dos Gurus da Linhagem, combinado as três sílabas ao seu nome.  Ou, se incapaz, apenas diga:

Para as bocas da Linhagem de Gurus – om ah hum

Para as bocas dos outros Gurus, deidades patronais (ishtadevatas), buddhas, bodhisattvas, viras, dakas, Dharmapalas, protetores, yakshas, deidades de riqueza, os espíritos detentores de voto e senhores de tesouros – om ah hum

Pense que todas as fontes de refúgio estão deleitadas pelo oferecimento.

Novamente, as Senhoras se emitem para dispensar néctar às Seis Classes de seres,
incluindo todos os seres do bardo
e aqueles espírito malignos e causadores de obstáculos que  causam dano a mim – om ah hum

Somente vendo, ouvindo, tocando e provando o néctar eles se satisfazem em tudo,
e as duas ofuscações de mérito e transcendental conhecimento são purificadas.
Suas mentes se tornam no Dharmakaya e seus corpos se tornam a forma incontaminada de Vajrayogini.
As deusas de oferecimento novamente voltam. [reabsorção].

Pense que a capala e o tripé desaparecem. Neste ponto você pode oferecer muitas mandalas como desejar, especialmente se recebeu a transmissão do “Ler” e “Recitar”.
SA JI PÖ TCHÜ DJU SHING ME TO TAM //       
RI RA LING JI NYI DE DJEN PA DI //
SANG DJE JIN DU MI TE PUL WA YI //
DRO KÜN NAM DA JING LA TCHÖ PAR SHO //   
OM GURU TRIRATNA MANDALA PUJA MEGHA SAMUDRÀ SPHARANA SAMAYE HUM

Então, muito devotadamente dirija o seu pensamento ao preceptor raiz, e reze TRÊS VEZES:
Para o sagrado preceptor que é a essência de todos os buddhas dos três tempos, eu rezo: Conceda completamente em mim as quatro consagrações (3).

O preceptor raiz olha questionando, com olhos abertos, ao preceptores da linhagem a lhes perguntar: “Eu darei as quatro consagrações, ou não "?

Os preceptores da linhagem olham para o preceptor raiz com olhos abertos, de maneira a conceder permissão - " Faça assim ".

Os preceptores da linhagem são absorvidos um no outro da direita para a esquerda. Finalmente Vajradhara é absorvido no preceptor de raiz.

O favor das quatro consagrações:

Raios de luz branca saem da sílaba OM na testa do preceptor e são absorvidos na própria testa da pessoa.
E deste modo, a pessoa obtém a consagração do vaso, são purificadas corrupções do corpo,
e a pessoa é autorizada a meditar no caminho do processo de criação.
A pessoa também obtém o nirmanakaya de resultado e recebe as bênçãos do corpo.
Mantenha a mente que reflete por algum tempo nisto.

Novamente, raios de luz vermelha saem da sílaba AH na garganta do preceptor e são absorvidos na própria garganta da pessoa.
E deste modo, a pessoa obtém a consagração secreta, são purificadas as impurezas da voz,
e a pessoa é autorizada a meditar no caminho de candali.
A pessoa também obtém o sambhogakaya de resultado
e recebe as bênçãos da voz.
Mantenha a mente que reflete por algum tempo nisto.

Uma vez mais, raios de luz azul saem da sílaba HUM no coração do preceptor e são absorvidos no próprio coração da pessoa.
E deste modo, a pessoa obtém a consagração do conhecimento transcendental e sabedoria, são purificadas impurezas da mente e a pessoa é autorizada a meditar no caminho dos mensageiros.
A pessoa também obtém o dharmakaya de resultado e recebe as bênçãos da mente.
Mantenha a mente que reflete por algum tempo nisto.

Finalmente, raios de luz branca, vermelho e azul saem da testa, garganta e coração do preceptor,
e são absorvidos no próprio corpo, voz e mente da pessoa.
E deste modo a pessoa obtém a quarta consagração e a pessoa é autorizada a meditar no caminho de mahamudra.
A pessoa também obtém o svabhavakaya de resultado e recebe as bênçãos de corpo, voz e mente. Sem apego, mantenha a mente que reflete por algum tempo nisto.

Novamente a pessoa deve rezar:
Para o sagrado, venerável guru, que é a quintessência de todos os buddhas dos três tempos, eu rezo, por favor dê sua bênção em minha mente.

Tendo rezado assim, o preceptor se dissolve em luz, simultaneamente para baixo da sua coroa da cabeça e para cima do trono de leão.
Então, na região do seu coração só uma luz laranja e esta luz, que é da cor do pó de sindhura, se torna um glóbulo de óleo que é da natureza das grandes felicidades.
Esta felicidade desce para entrar pelo topo de sua cabeça.
Desce para fundir-se com a sílaba vermelha BAM
dentro de seu coração e ao ser absorvido nesta, a sílaba BAM fica maior e maior até que desaparecer como um arco-íris.

Visualizando isto, permaneça em meditação quanto tempo como a pessoa deseje, reverente e devotado absorva o estado brilhante no qual a mente do preceptor e a mente da pessoa é fundida sem diferenciação e que é o claro e inerente aparecimento nu sem ilusão de formas dentro da vacuidade não nascida.

Então continue:
De dentro das sílabas E E dentro de meu próprio coração surge o dharmakara.
Em seus duplos triângulos aparece a sílaba A da qual surge um disco de LUA.
No centro do disco de LUA está a sílaba vermelha BAM
ao redor da qual o rosário DE MANTRA está circulando anti-horário:
OM OM OM SARVABUDDHA DAKINYE VAJRAVARNANYE VAJRAVAIROCANIYE HUM HUM HUM PHAT PHAT PHAT SVAHA
Raios de luz saem do mantra-rosário e penetram meu corpo inteiro.
Todas as más ações e corrupções de corpo voz e mente são purificadas e o corpo da pessoa se torna um globo de luz.
Por uma transformação completa disto, sou transformado no corpo de Vajrayogini que está em cima de um trono formado de um loto multi-colorido e sol.

O pé da perna direita estendida pisa o peito de Kalaratri vermelho,
e o pé da perna esquerda curvada pisa a cabeça curvada para trás de Bhairava preto.

Meu corpo é vermelho, brilhante como o fogo do fim de um eon.
Uma face, duas mãos e três olhos que contemplam para cima o puro reino de Khechara.

A mão direita estirada para abaixo segura uma lâmina curva que tem um punho de vajra.

A mão esquerda segura no alto uma capala cheia até a borda de sangue, e da qual bebo com a face voltada para cima.
Tenho no ombro esquerdo a khatvanga com vajra na ponta, do qual um damaru, sino e três bandeiras pendem.
O cabelo preto cai até a cintura em mechas separadas.

Com os seios cheios de desejo, sou jovem e apareço no humor do conceder felicidade.
A minha cabeça é adornada com cinco crânios secos,
e uso uma guirlanda de cinqüenta crânios secos.
Nua, sou adornada com os cinco mudras,
e com Vairocana como minha  coroa.

Eu fico no meio das chamas do conhecimento transcendental.

Aparecendo de duas sílabas E E, de dentro do meu coração, aparecem os duplos triângulos vermelhos do dharmakara.

Nele está um disco de lua, em cujo centro está, de pé, a sílaba vermelha BAM. Ela é rodeada pelo rosário de mantra que circula no sentido anti-horário.

Raios de luzes se emitem dali e se difundem pelos poros da sua pele para tocar todos os seres de todas as seis raças. São purificadas as suas más ações e corrupções com os resíduos do seu carma e eles são todos são transformados na forma de Vajrayogini.

Performe o Mudra Flamejante à testa, três vezes girando em anti-horária direção, dizendo:

PHAIM

Raios de luzes novamente saem da sílaba BAM de dentro do meu coração invocando Vajrayogini do reino de Akanishta. Ela se aproxima, cercada por todos os viras e yoginis das dez direções e também por todos os seres que foram transformados em yoginis. Eles são todos absorvidos em mim.
Aqui profira o mantra junto com os mudras:

JAH HUM BAM HOH

Eles são não-dualmente absorvidos em mim mesmo. Devido às grandes felicidades que surgem da infusão de conhecimento transcendental, a letra BAM no meu coração se dissolve em luz.

Saindo disto, a letra BAM,  que é a essência da força de vida no centro,
as letras dos quatro elementos, que são YA RA LA e VA e
o rosário de mantra circunvizinho, que consiste nas trinta-e-duas sílabas sementes

- se transformam em formas divinas.



No centro está uma yogini vermelha,
na frente está uma yogini branca,
à esquerda está uma yogini verde,
atrás está uma yogini vermelha,
à direita está uma yogini amarela,
e estas estão rodeadas de yoginis vermelhas.


Também, todas estas têm uma face, duas mãos e três olhos que contemplam para cima para o puro reino de Khechara.
Estiradas para baixo, as mãos direitas delas seguram uma faca curva com um punho vajra.
As mãos esquerdas seguram no alto uma capala cheia até a borda com sangue do qual elas bebem com suas faces voltadas para cima.
Elas têm no ombro esquerdo o khatvanga, com ponta de vajra, do qual um damaru, sino e bandeira tríplice oscilam.
Os cabelos pretos delas caem nas suas cinturas em mechas separadas.
Com seios cheios de desejo elas são jovens e aparecem no humor de dar felicidade.
As suas cabeças são adornadas com cinco crânios secos, e elas usam uma guirlanda de cinqüenta crânios secos.
Nuas, elas estão adornadas com os cinco mudras.

As pernas direitas delas estão estendidas, e as esquerdas dobradas, apertando abaixo em Bhairava e Kalaratri.
Elas estão no meio das chamas de conhecimento transcendental.

Assim recite e lembre.
Depois, tendo meditado nesta mandala de corpo por um tempo satisfatório, com o 'Loto-redondo Mudra' e terminando com o 'Abraçando Mudra' diga o seguinte:
OM YOGASHUDDHA SARVADHARMAH YOGASHUDDHO 'HAM
No conhecimento transcendental de grandes felicidades que é a sabedoria não-dual e método, eu totalmente sou puro e assim,também, todas as coisas são puras.
Retendo o orgulho deste pensamento, coloque a mente em estado de não apego.


Então vista a armadura como se segue:
OM BAM vermelho no umbigo é a essência de Vajravarahi.
HAM YOM azul no coração é a essência de Yama.
HRIM MOM branca na boca é a essência de Mohani.
HRIM HRIM amarelo à testa é a essência de Kshobhani.
HUM HUM verde à coroa é a essência de Bhairavi.
PHAT PHAT cor de fumo em todos os membros é a essência de Candali.
A seguir, a recitação do mantra:

Do rosário vermelho do mantra, que circula ao redor da sílaba BAM, no centro do disco de lua, dentro dos triângulos vermelho-cruzados do dharmakara que se encontra no coração da deidade principal da «mandala do corpo», raios infinitos de luzes vermelhas saem.
Eles purificam os pecados e impurezas de todos os seres vivos
e fazem oferecimentos para todos os iluminados.
São invocadas as suas bênçãos e poderes na forma de raios de luzes vermelhas que são absorvidas no rosário de mantra.
Bênçãos penetram o meu contínuo da corrente mental.

Sem abandonar esta visualização, a pessoa deve primeiro abençoar o rosário,  recitando o mantra: OM RUCIRAMANA PRAVARTANAYE SVAHA
Conclua soprando no rosário.
Então, mantendo a visualização, recite o mantra de Vajrayogini 21 vezes, 100 vezes, etc., de acordo com a promessa feita na hora da consagração:
OM OM OM SARVABUDDHA DAKINIYE VAJRAVARNANIYE VRAVAIROCANIYE HUM HUM HUM PHAT PHAT PHAT SVAHA
("Om Om Om! Ó dakini de todos os buddhas! O feminino da classe vajra!
O aspecto feminino de Vairocana! Hum Hum Hum Phat Phat Phat! Auspícios!")
,


Aqui a  pessoa deve praticar de acordo com as instruções recebidas do próprio preceptor raiz as meditaçõe seguintes:
A Recitação Mental: Para purificar
o ar dentro das três veias, primeiro bloqueie a narina direita com o dedo médio da mão esquerda e exale, primeiro suavemente, depois vigorosamente, e depois suavemente novamente. Então bloqueie a narina esquerda (com o mesmo dedo) e exale como antes. Finalmente, exale simultaneamente da mesma maneira por ambas as narinas. Tendo completado a purificação inicial, proceda com o vaso-retenção da respiração. Primeiramente, de abaixo empurre o ar ligeiramente acima, e mantenha lá.

 Depois, inale uma respiração profunda que desce até ao umbigo, levando junto com isto o dharmakara, lua-disco e sílabas.

Em terceiro lugar, tome fôlego de abaixo para trazer o ar para cima atrás do 'vaso',  i.e., a pessoa traz o ar até formar uma tampa em seu topo. Em quarto lugar, dirigindo a mente da pessoa para isto, leia mentalmente as sílabas do rosário de mantra que está agora incluso dentro do 'vaso' da respiração retido.

Isto deve ser recitado mentalmente três, cinco ou sete vezes de acordo com a habilidade da pessoa. Novatos devem observar estritamente a advertência do preceptor que adverte sobre os perigos desta meditação, que só devem ser levados a praticar corretamente.

O Processo de Conclusão: Imagine que o Avadhuti vem como um tubo oco do órgão secreto até o topo da cabeça. Simultaneamente, no órgão secreto e no nível das sobrancelhas, dois torvelhinhos de felicidade estão girando violentamente no sentido anti-horário.

(O Avadhuti vem e sobe diretamente do órgão secreto até a cabeça e se curva enfim em cima entre as sobrancelhas.)

Dirigindo a mente ao movimento deles, retenha a respiração o mais possível. Então, imagine o pequeno torvelhinho de felicidade, vermelho, girando anti-horário no mais baixo fim da veia Avadhuti que sobe ao nível do coração. Logo que sobe, todos os aparecimentos se tornam felicidades.

Então imagine o pequeno torvelhinho de  felicidade, branco, girando anti-horário
no fim superior do Avadhuti, descendo ao coração. Logo que desce, todos os aparecimentos se tornam vacuidade.

Agora os dois torvelhinhos de felicidade são colocados um frente ao outro, e estão girando muito violentamente. Eles giram mais rapidamente e mais rapidamente até que eles se fundem em um único torvelhinho de cor rosa.

Finalmente eles giram tão rapidamente que desaparecem completamente na sílaba BAM dentro do coração da pessoa.
§§§
Da sílaba BAM em meu coração partem raios que tocam o ARUPADHATU que se dissolve numa cor AZUL que é absorvida no alto do meu corpo.

Da sílaba BAM em meu coração partem raios que tocam o RUPADHATU que se dissolve numa cor VERMELHA que é absorvida na parte do meio do meu corpo.

Da sílaba BAM em meu coração partem raios que tocam o KAMADHATU que se dissolve numa cor BRANCA que é absorvida na parte inferior do meu corpo.



THE NON-COMMON MEDITATION BEYOND THOUGHT

Having completed the mantra recitation, mental recitation and the Process of Completion, one then proceeds to the Non-common Meditation Beyond Thought.

One is still in the form of Vajrayogini.

First one should perform the 'vase-retention' of breath and concentrate on the small Vajrayogini located at one's navel.

This Vajrayogini is about the size of one's thumb and is decorated with all the adornments.

Meeting at the navel are the bases of the three veins - Avadhuti in the centre, Rasana on the right and Lalana on the left. The Avadhuti vein goes straight up to the Brahmarandha opening at the top of the head, while the other two veins go straight up to the crown of the head where they curve down so as to end at the respective nostril apertures.

 Located at the conjunction of the three veins at the navel is the small Vajrayogini.

From this Vajrayogini at the navel another one, in the exact same appearance but smaller, issues forth and rises up along with the exhalation through the Rasana vein on the right side and emerges through the right nostril and remains just outside the nostril.

From
the Vajrayogini countless smaller Vajrayoginis emanate and go off in every direction to the numberless Buddha-realms in order to make offerings to all the Buddhas and Bodhisattvas.

 Having made offerings, the innumerable Vajrayoginis go off to fill all the three realms of existence and through their touch or mere presence all things, both animate and inanimate, are purified and transformed into Vajrayoginis.


Then, all these Vajrayoginis return and are absorbed into the Vajrayogini who remained outside of one's nostrils.

 Next, this Vajrayogini enters through the left nostril along with the inhalation and descends through the Lalana vein on the left side of one's body.

Arriving at the navel She is re-absorbed into the original Vajrayogini.

At this point one should perform the 'vase-retention' of brealh and concentrate upon the Vajrayogini located at one's navel.

(In this manner, all external things, objectivity, is transformed into the Deity, and all internal things, the subjective mind, is also transformed into the Deity and these two are non-dually merged together without differentiation.)

Do this visualisation/meditation 3, 4. or 5 times so as to make the meditation firm.

Then, light rays issue forth from the Vajrayogini at the navel and fill every part of one's body.

The limbs of the body dissolve into light and merge with the trunk of the body.
Then the trunk of the body dissolves into a ball of light.

As Vajrayogini slowly ascends through the Avadhuti vein, the lower parts of the three veins and the body of light are absorbed up into Her.

As she arrives at the top of the head, all the veins and remainder of light are absorbed into Her.

Finally, She emerges from the Brahmarandha opening at the top of one's head and then quickly goes straight up into the sky and arrives at the pure realm of Khechara.

Having arrived there, She vanishes into the clear light to the Dharmadhatu, the state emptiness.

At this point, without grasping, one should meditate on this pure state of the combination of clarity and emptiness for as long as possible.

After some time, Vajrayogini instantly reappears out of the realm of emptiness and, descending from the Khechara realm, re-enters one's body at the Brahmrandha opening at the top of one's head (that is, where one's body had previously appeared before being absorbed into emptiness).

When She arrives at one's body, oneself immediately reappears in the form af Vajrayogini, but without the hand objects or ornaments (in the form of off-time Vajrayogini).

(Perform this meditation 21, 7 or 3 times)
%%%%%%%%%%%%%%%%%
The Dedication of the Torma to Vajrayogini and the Dakinis

Begin by reciting the mantras of the deities of the protection cordon
OM SUMBHANI SUMBHA HUM HUM PHAT
OM GRIHNA GRIHNA HUM HUM PHAT
OM GRIHNAPAYA GRlHNAPAYA HUM HUM PHAT
OM ANAYA HOH BHAGAVAN VIDYARAJA RUM HUM PHAT
By these mantras alI things are purified and all obstacles are dispersed.

OM SVABHAVASHUDDHA SARVADHARMAH SVABHAVASHUDDHO 'HAM

Out of the state of emptiness (from A) arises a skull-cup which is wide and vast. Inside of this. From the dissolution of the five meats, the five nectars and the five transcendenta/ knowledges,
arises a great ocean of transcendenta/ knowledge nectar.
Recite three times, along with the garuda mudra
OM AH HUM HA HOH HRIH
Perform the flaming mudra
PHAIM
Light rays issue from one's heart to invoke fromm the Akanishtha Realm  the Reverend Vajrayogini.
surrounded by Buddhas, Bodhisattvas, Viras, Yoginis, Dharmapalas and Worldly Guardians.
These reappear in the sky in front of one.
Perform the vajra-invoking mudra OM VAJRA SAMAJAH
Beginning with the lotus-round mudra, followed half-way by the mudra of vajra-folded hands opened at the top, and concluding by snapping the fingers, offer the torma to transcendental knowledge by reciting:

OM OM OM SARVA BUDDHA DAKINIYE VAJRA VARNANIYE VAJRA VAIROCANIYE HUM RUM RUM PHAT PHAT PHAT SVAHA OM AKAROMUKHAM SARVA DHARMANAM ADYANUTPANNA TVADA OM AH HUM PHAT SVAHA
Thus offer three, five or seven times. Then make the eight offerings, with mudras:
OM VAJRA ARGHAM AH HUM          OM VAJRA PADYAM AH HUM
OM VAJRA PUSHPE AH HUM          OM VAJRA DHUPE AH HUM
OM VAJRA ALOKE AH HUM               OM VAJRA GHANDE AH HUM
OM VAJRA NAIVIDYE AH HUM          OM VAJRA SHABDA AH HUM­
Then perform the inner offerings:
OM VAJRA ARALLI HOH
OM AH HUM .­
I offer this holy offering to the mouths of Reverend Vajrayogini and the assembly of Viras and Dakinis.
Leading with the damaru, offer praises by ringing the beIl, etc., and reciting the foIlowing verses:
Prostrations to the savior of beings, the auspicious Vajradakini, the Empress of Dakinis, who possesses the jive transcendental knowledges and the three bodies. As many Vajra-dakinis as there are who cut the bonds of conceptualizations and
 enter into worldly activities (for the sake of sentient beings), to ali these I prostrate.
At the time of death may I be lead to the reallm of Kheehara by the Protectors, Viras and assembly of Dakinis offering music, songs, the sounds of cymbals, flowers, and holding aloft umbrellas and banners of victory.
If one wishes to perform the torma offering to the Lord of the Cemetary, then it may be done at this point. Otherwise, continue now with the torma offering to the Dakinis:

Toma Offering to Shri Shamashanapati

To bless the sacrificial cake, recite three times, with the appropriate mudra:
OM AH HUM HA HOH HRIH
Lighl rays issue from one 's heart to invoke Shri Shamashanapati from the natural abode.
OM VAJRA SAMAJAH
OM GHRIRAJA GHRIRAJA KUMA KUMA KUMATHI SVAHA
SHRI SHAMASHANA AHDHIPATI MAHA PISHATSA BHALINGTA KAKA KAHI
OM VAJRA ARGHAM PADYAM PUSHPE DHUPE ALOKE GRANDE NAIVIDYE SHABDA AH HUM
OM GHRIRAJA GHRIRAJA KUMA KUMA KUMATHI SVAHA
OM AH HUM
Falher and molher Shamashanapati, please accept Ihis vast torma offering. Help the Buddha 's doctrine to flourish and bring peace and happiness to the world. Chief of the cemetery meat ealers, fearsome skeleton shining white, compassionately gazing upon vow holders. Homage to you, mother and father owners of weatlh.

OM AH HUM HA HOH HRIR
Perform the flaming mudra
PHAIM
Then say
OM VAJRA ARALLI HOH
JAH HUM BAM HOH
VAJRA DAKINI SAMAYASTVAM DRISHYA HOH
Imagine that the torma-guests are invoked, and with the lotus-round mudra and then with open vajra-folded hands, offer the torma:

OM KHA KHA KHAHI KHAHI
SARVA YAKSHA RAKSHASA BHUTA PRETA PISHACHI UNMADA APASMARA DAKA DAKINIYADAYA IDAM BALIM GRIHANTU SANAYA RAKSHANTU MAMA SARVA SIDDHIM ME PRAYACCHANTU YETHEVAM YATHESTAM BHUNJATHA JIGHATHA PIPATHA MATIKRAMATHA MAMA SARVA KARYA SATSUKHAM VISHUDDHAYE SAHAYIKA BHAV ANTU HUM HUM PHAT PHAT SVAHA (3x).
Thus offer thrice. Then perform the inner offerings, with mudras.  OM VAJRA ARGHAM SVARA OM VAJRA PADYAM SVARA OM PUSHPE AH HUM OM VAJRA DHUPE AH HUM OM VAJRA ALOKE AH HUM OM VAJRA GHANDHE AH HUM OM VAJRA NAIVIDYE AH HUM OM VAJRA SHABDA AH HUM
Then perform the inner offering
OM AH HUM
Buddha-dakini, Vajra-dakini, Ratna-dakini, Padma-dakini, Vishva-dakini and the like, the assembly of Viras and Dakinis of the three places - please partake of this offering of sacrificial cake and guard the teaching of the Buddhas, and for we practitioners, with motivation and action in aecord with the Dharma, and may our deeds be well accomplished.
Leading with the damaru, ring bells, etc., and recite:
OM, to the entire collection of gods,
and to the entire collection of nagas,
and to the entire collection of yakshas
and to the entire collection of rakshasas,
and to the entire collection of bhutas,
and to the entire collection of pretas,
and to the entire collection of pishacis,
and to the entire collection of unmadas,
and to the entire collection of apasmaras,
and to the entire collection of dakinis,
and to the entire collection of ekadas,
to these and so on, the assembly of beings,
the entire group, all of them, come here and pay heed to me! Partake of this offering of sacrificial cakes and bless us meditators, along with our retinues, to obtain life without sickness, [with] power, glory, fame and good luck, and a vast amount of wealth; and bless me to attain karma­siddhis of peace, prosperity and the like. Protect me by your pledges and help me to obtain all the siddhis. May I be without untimely death, illness, evil spirits and demons. May I be without evil dreams, evil omens and evil deeds. Happy worldlings and good crops, increased grains and increased Dharma, the arising of all good virtues, and the fulfilling of desires-may all these be accomplished!

To conclude the torma offering to Vajrayogini and the Dakinis, continue thus:
O, Reverend Vajrayogini, please lead my self and all sentient beings to the pure realm of Khechara, and please bestow upon us all worldly and transcendent siddhis.
Recite the IOO-syllable mantra of Shri Vajrasattva Heruka thrice.

OM SHRI VAJRA HERUKA SAMAYA MANUPALAYA HERUKA
TVENOPA TISHTHA DRIDHO ME BRAVA SUTOSHYO ME BHAVA ANURAKTO ME BHAVA SUPOSHYO ME BHAVA SARVASIDDHIM ME PRAYACCHA SARVAKARMASU CA ME CITTAM SHREYAH KURU HUM HA HA HA HA HO BHAGA VAN VAJRA HERUKA MAME MUNCA HERUKO BHAVA MAHASAMAYASATTVA AH HUM PHAT
Whatever was incomplete and spoiled, and whatever my ignorant mind asked others to do or did my self, may the Master forgive all such.
All the Buddhas and Bodhisattvas residing in the ten directions, please pay heed to me. As long as all sentient beings who are equal to the limits of space are not placed in the non-abiding nirvana, until then may the Conquerors not pass into Nirvana but continue to remain. Moreover, especially, may the Deities which are made and invoked (so as to enter) into these images continue to remain so long as they (the images) are not destroyed through damage by thefour elements. Having continued to remain, may you firmly protect, guard and assist myse and alI sentient beings.
OM SUPRATISHTA VAJRAYE SVAHA
Thus recite and throw flowers [rice] upon the images or pictures so as to have them continue to remain.
VAJRA MUH
To the transcendental aspect of the torma-guests who are without an image: OM, may you bestou all benefits upon sentient beings and grant  whatever siddhis are desired; now please go to the Buddha-realm from which you came, and return here again (when requested).

The transcendental aspects retum to their natural abode and the pledge aspects are non-dually absorbed into oneself:
JAH HUM BAM HOH
This completes the derlication of the sacrificial cake to Vajrayogini and the Dakinis.

Oferecimento de tsog

NAMO GURU VAJRA YOGINlYE
Those wishing to quickly attain to the state of perfect enlightement for the benefit of others, having the extraordinary motivation of compassion should attend to the unsurpassable method of Vajrayana which accomplishes the ocean of the two accumulations within the non-dual state of bliss and emptiness. This daily practice of the brief ritual of the tsok offering using food and drink, follows in three parts.
I. Preparation
Set one' s offerings of food and drinks beautifully in front of a painting or image of Jetsun Vajrayogini. If available, place any other suitable offerings. For the inner offering, place beer ar pure water.

lI. The Main Part
Proceed with either the yoga of self-creation or clearly and stably maintain concentration on the off-sessional body of the deity.
OM SUMBHANI SUMBHA HUM HUM PHAT
OM GRlHNAPAYA GRIHNAPAYA HUM HUM PHAT
OM GRIHNA GRIHNA HUM HUM PHAT
OM ANAYA HOH BHAGAVAN VAJRARAJAYA HUM HUM PHAT
Thus cleanse : OM SVABHAVA SHUDDAH SARVA DHARMA SVABHAVA SHUDDOH HAM
Thus purify : From the state of emptiness there arise YAM, which becomes an air mandala. Above is RAM, which transforms into a fire mandala. Atop is an AH, from which arises the wisdom skullcup, vast and wide and tilled with the tsok substances, the five meats and five nectars. They boil and dissolve into light, becoming a cIoud-like heap of desire objects wisdom ambrosia.
OM AH HUM HA HOH HRIH
Bless by reciting many times.
Perform the Blazing Mudra counter-cIockwise in the sky in front of one's forehead. PHAIM Rays of light issue from one's heart to invoke from their natural abode Guru Jetsun Vajrayogini surrounded by buddhas, bodhisattvas, viras, dakinis, dharmapalas and protectors. They appear in the sky in front of oneself.
OM VAJRA SAMAJAH Recite thus and then think that offering goddesses emanate from oneself to make an ocean-like cloud of offerings of the all-endowed experience of bliss and emptiness to the field of tsok, which is as pervasive as space. By thus offering, the objects of refuge are fully pleased (and then experience) stainless bliss. The two accumulations of oneself and others are accomplished within an instant.

Music and recite: OM AH HUM
Whatever is perceived, I offer as a tsok offering, the great clouds of desire objects ambrosia. Arising from the play of bliss and emptiness to please the root and lineage gurus. Please accept and compassionately bless us.
OM GURU TRIRATNA SAPARIVARA OM AKAROMUKHAM SARVADHARMANAM ADYANUTPANNA TVADA OM AH HUM PHAT SVAHA
Recite three times. Thus offer to the Guru and the Triple Gem:

Music and recite: OM AH HUM
Whatever is perceived I offer as a tsok offering, the great clouds of desire objects ambrosia arising from the play of bliss and emptiness to please the mandalas of divine yidams. Please accept and bestow upon us the common and uncommon siddhis.
OM MANDALA DEVA GANA SAPARIVARA AKAROMUKHAM SARVADHARMANAM ADYANUTPANNA TVADA OM AH HUM PHAT SVAHA
Recite three times to offer in general to the divine Guru Yidams.


Music and recite: OM AH HUM
Whatever is perceived, I offer as the tsok offering, the great clouds of desire objects ambrosia arising from the play of bliss and emptiness to please Glorious Vajrayogini and her retinue. Please accept and generate (within us) the wisdom of bliss and emptiness.
OM OM OM SARVA BUDDHA DAKINIYE VAJRA VARNANIYE VAJRA VAIROCANIYE HUM HUM HUM PHAT PHAT PHAT SVAHA OM AKAROMUKHAM SARVADHARMANAM ADYANUTPANNA TVADA OM AH HUM PHAT SVAHA
Recite three times to offer to Vajrayogini and her retinue.


Music and recite: OM AH HUM
Whatever is perceived, I offer as the tsok offering, the great clouds of desire objects ambrosia arising from the play of bliss and emptiness to please the ocean of Vajradharma Protectors. By accepting, bless me with all the benefiting factors by eradicating all obstacles.
OM SHRI VAJRA DHARMAPALA SAPARIVARA AKAROMUKHAM SARVADHARMANAM ADYANUTPANNA TVADA OM AH HUM PHAT SVAHA
Recite three times to offer to the Dharmapalas and Protectors


Music and recite: OM AH HUM
Whatever is perceived, I offer as the tsok offering, the great clouds of desire objects ambrosia arising from the play of bliss and emptiness to please the Viras and Dakinis of the three places. By accepting, help me in the profound path.
OM OM OM SARVA BUDDHA DAKINIYE VAJRA VARNANIYE VAJRA VAIROCANIYE HUM HUM HUM PHAT PHAT PHAT SVAHA OM TRISTHANA DAKA DAKINI SAPARIVARA OM AKAROMUKHAM SARVADHARMANAM ADYANUTPANNA TVADA OM AH HUM PHAT SVAHA
Thus offer to the Viras and Dakinis of the three places along with their retinues.
Oneself is Vajrayagini.
At one's heart is the assembly af divine yidams. At one's navel, within the flames af candali is the gathering of dharmapalas and wealth deities. By making on offering of a stream of wisdam nectar tsok with one' s two hands, which use the vajra container and pourer, (the deities) are pleased with stainless bliss. May the supreme and ordinary siddhis be bestawed.
Thus think and recite. Distribute tsok to all while reciting:
OM SHRI VAJRA HERUKA SAMA YA MANUPALA YA HERUKA TVENOP A TISHTHA DRIDHO ME BHAVA SUTOSHYO ME BHAVA ANURAKTO ME BHAVA SUPOSHYO ME BHAVA SARVA SIDDHIM ME PRAYACCHA SARVAKARMASU CA ME CITTAM SHREY AH KURU HUM HA HA HA HA HO BHAGAVAN VAJRA HERUKA MAME MUNCA HERUKO BHAVA MAHASAMAYASATTVA AH HUM PHAT Recite many times
OM AH HUM Enjoy the tsok!
Partake of the tsok in the state of dharmata, the play of clarity and pervasiveness.
The Remainder
OM AH HUM
OM AH HUM HA HOH HRIH Recite thus to bless.
PHAIM
USHCITA BALINGTA BHAKSHASI SVAHA
Whatever is perceived, I give as the remainder, the great cloud of desire objects ambrosia arising from the play of bliss and emptiness to spirits with the power to receive it. May all have the fortune of satisfaction and fulfilment.Saying thus, take the remainder outside and place it in a clean place.
Benediction
Whatever auspiciousness arises from the realm of the Dharmadatu, Glorious Heruka, Fearsome King with blazing body, and Wisdom Varahi, experiencing the vajra and lotus. By the truth of this, may the auspiciousness of abiding in exalted bliss arise.
At the time of death, may I be lead to the realm of Khechara by the protectors, viras, and assembly of dakinis, who offer music songs, the sound of symbals, flowers, and hold aloft umbrellas and banners of victory.
Veritable is the Goddess. Veritable is the samaya. Veritable and excellent are her spoken words. By the power of these truths, may she always watch over us.
OM GURU VAJRAYOGINI SAPARlWARA ARGHAM PADYAM PUSHPE DHUPE ALOKE GANDHE NAIVIDYE SHABDA TRATISTHA SVAHA
OM AH HUM
Glorious Vajradakini, surrounded by dakinis, who achieved the five wisdoms and three bodies. Prostrations to you, saviour of beings.
Every Vajradakini who has cut the shackles of conceptual thought, and is completely engaged in activities for the world. Prostrations to all of them.
Blessed Vajrayogini, please lead me and all sentient beings to the pure realm of Khecari. Bestow all the attainments of this world and beyond.
Whatever errors of omission and commission that I, in mental delusion, have done or made others do, may the blessed ones forgive all such.
OM SUPRA TISHTHA VAJRA YE SVAHA
By the merit of this, may I, having quickly attained the stage of Glorious Vajrayogini, place upon that stage all beings without exception. Perfonn other dedications and aspirations. At the end of those:
May auspicousness prevail day and night, and auspiciousness in the midday too. May auspiciousness always appear both day and night. By the Triple Gem, may auspiciousness arise!




Uma vez mais, vista a armadura:
OM BAM vermelho no umbigo é a essência de Vajravarahi.
HAM YOM azul no coração é a essência de Yama.
HRIM MOM branca à boca é a essência de Mohani.
HRIM HRIM amarelo à testa é a essência de Kshobhani.
HUM HUM verde  na coroa é a essência de Bhairavi.
PHAT PHAT cor de fumo em todos os membros é a essência de Candali.
Finalmente invoque o cordão protetor. Isto é terminado estalando os dedos da mão esquerda nas várias direções,procedendo da esquerda para a direita e repetindo o processo então da direita para esquerda, enquanto a pessoa recita os mantras apropriados para invocar as senhoras de proteção:
No Leste e zênite, Kakasya azul: OM SUMBHANI SUMBHA HUM HUM PHAT
No Norte, Ulukasya verde: OM GRHNA GRHNA HUM HUM PHAT
No Oeste e nadir, Shvanakasya vermelho: OM GRHNAPAYA GRHNAPAYA HUM HUM PHAT
No Sul Sukarasya, amarelo: OM ANAYA HOH BHAGAVAN VAJRARAJAYA HUM HUM PRAT

No Sudeste, Yamadadhi azul-amarelo: OM SUMBHANI SUMBHA HUM HUM PHAT
No Sudoeste, Yamaduti amarelo-vermelho: OM GRHNA GRHNA HUM HUM PHAT
No Noroeste, Yamadanshtini vermelho-verde: OM GRHNAPAYA GRHNAPAYA HUM HUM PHAT
No Nordeste Yamamathani, azul-verde: OM ANAYA HOH BHAGAVAN VAJRARAJAYA HUM HUM PHAT
Cada uma dessas aenhoras protetoras tem uma única face e quatro mãos.
As primeiras suas duas mãos seguram um DAMARU e um KHATVANGA,
enquanto as mais baixas duas mãos uma FACA CURVA e CAPALA.
Agora as suas emanações inumeráveis se emitem e aniquilam todos os obstáculos, e ficam dentro do pavilhão protetor.
A pessoa deve pensar que todas as direções estão bem guardadas.



(Para concluir recite a Prece de aspiração para contemplar a querida face de Khecarî, e as rezas das bênçãos auspiciosas que começam com as palavras "Detentores de toda glória...")
Nâmo Vajra-candalîyai! Prece de aspiração para contemplar a querida face de Khecarî
Por Tsarchen Losel Gyatso

Namo Vajra-vârâhyai!
De dentro das miragens de samsara/nirvana / A dança bênção-vacuidade dos infinitos jinas, / Aqui e agora vem Khecarî, a esplêndida, a enganadora, / Que eu acalento dentro do coração. / Proteja-me com seu abraço jubiloso e amante! / Mãe dos jinas co-emergentes em Akanishtha, / O reino de nascimento das dakinis em vinte e quatro lugares de reunião, / As karmamudra consortes, as possuidores da riqueza de toda parte, / Jetsunma, você é tudo isso, soberana refúgio meu, a ioguini! / Você é a natural vitalidade da mente que é vazia, / O real VAM nos E-dharmakaras na cidade vajra: Na mágica ilha você se revela claramente / Como jovem travessa de sorriso radiante e também como terrível demônio. / Eu nunca encontrei nada realmente verdadeiro / Ainda que eu tenha muito procurado por isso / E sou agora esta pobre pessoa, com sua desgastada mente / À procura de abrigo na floresta retirada e longínqua das palavras./ Ó maravilha! Dakini! Apareça agora, do espaço básico! / E por favor agora me proteja por isso; / A verdade está proclamada no Rei dos Tantras, Shrî Heruka! / "Da sua realização pelo recitativo / do excelente quintessência-mantra da rainha vajra" / Assim como você socorreu o senhor dos siddhas / Vajraghantapâda, na solitária floresta de Oddîyana / Por meio da grande bênção de seus beijos e abraços; / Você então o levou para o reino de Khecara; assim faça por mim! / Como o transporte do corpo de Jetsun Kusâli / Daquela ilha do Ganges para o vasto espaço, / Ou quando tomou o glorioso Narotapa em seus cuidados, / Assim leve-me para lá, também, para Khecara, a cidade das donzelas! / Pelo poder da compaixão do guru raiz e da linhagem de gurus, / Pela especial velocidade do profundo caminho do maior, do grandioso tantra, / Que eu possa, o iogui, pelo poder de minha motivação pura e altruística, / Rapidamente contemplar a sorridente face da jovem Khecarî!
É o que foi espontaneamente composto por Tsarchen Vajradhara.

(Recite a seguir a seguinte prece de aspiração:)
Autêntica semhora, autêntica samaya, / Cujas palavras supremamente autênticas: / Que suas verdades nos sirvam como causa / De sermos protegidos para sempre! / Que na hora da minha morte apareçam os hospitaleiros viras e dakinis e protetores, / Trazendo muitas oferendas de flores, parassóis e vitoriosas bandeiras, / E cantando e tocando címbalos e guitarras, / Todos venham para me levar a Khecara, o espaço onde dançamos nos céus! /
(Então recite estas preces de auspiciosas bênçãos:)
Detentores de toda glória da prosperidade, da excelência e da virtude, / Grande Vajradhara, Panchen Nâro e os seguintes:
As falanges dos gloriosos e sagrados gurus: / Por suas bênçãos que trazem pressurosos / Que nasçam os auspiciosos signos! / Excelente mãe dos jinas, Prajanaparamita, / De luminosa natureza, desde sempre livre de complexidade, / Ela que todo ser vivo e não-vivo emana e reune: / Isto é o dharmakaya de Khecari: / Que nasçam os auspiciosos signos! / Com seu esplêndido corpo que esplende as glórias das maiores e menores marcas, / Ela proclama o mahayana com sua voz de sessenta melodiosos tons, / Sua dotada mente de cinco aspectos de jñâna, / Abençoada, luminosa e não conceitual: / Que nasçam os auspiciosos signos! / Com muitas formas e em muitos reinos / Empregando muitos métodos pelo bem-estar dos muitos treinadores a serem guiados, / Ela realiza suas múltiplas intenções com total precisão: / São as nirmanakâyas do reino-nascido! / Que nasçam os auspiciosos signos! / Jetsunma, da cor de um rubi, / Com uma face sorridente e irritada, e com dois braços / Com que elegância segura o vaso de crâneo e a kartari / Cujas duas pernas, uma estendida, outra dobrada: / Esta é a Khecari nascida da mente! / Que nasçam os auspiciosos signos! / Ela tem emanações incontáveis, / A falange daqueles fortes setecentos e vinte bilhões, / Que eliminam todos os obstáculos dos seus praticantes: / Que lhes garantem os siddhis e todos os desejos! / Que nasçam os auspiciosos signos!

Estes versos foram escritos por Chöjé Jampa Chölek.

Finalmente deve dedicar o mérito. Dedique o mérito da meditação recitando o verso seguinte junto com outras orações satisfatórias como " A Face Adorável de Khechari ", [ou] "Infalível Semhora” e os "Versos para as Bênçãos de Vajrayogini ", etc. Os últimos mencionados devem ser recitados certamente na conclusão da meditação.

Por este mérito, então, possa eu, tendo atingido a sagrada Khechari, depressa colocar na fase dela todos os seres sem exceção.

REZAS DE LONGA VIDA

 (Esplêndido e precioso Guru Raiz / Sobre um lótus na coroa de minha cabeça /Abençoe-me com sua grande compaixão / E me outorgue a perfeição de corpo, palavra e mente.)
S. S.  DALAI LAMA
(No paraíso das montanhas nevadas / Sois fonte de amor e felicidade / Poderoso Tenzin Gyatso Chenrezig / Fique conosco até que termine o Samsara!)
S. S. SAKYA TRIZIN:  (Ngawang Kunga, linha de Khön, divino, / Benefício e alegria de todos os seres / Dono do grande e secreto caminho / Benfeitor grande Rei, viva longamente!)
S. S. CHOBGAI RINPOCHÊ: (Suprema linha histórica de Manjushri / Tem a excelente Realização e a perfeita Sabedoria / Para a difusão do oceano da linhagem excelente / Incomparável Guru, rogamos que viva longamente!) LUDHING KHEN  RINPOCHE: (Acumulação dos grandes tesouros de Manjushri / Gracioso despertar da primaveril Sarasvati / Tesouro do Ensino que liberta com sua luz / Sol do Dharma mahayana, viva longamente!)
 JETSUN KUSHO:
(Primeira entre as Dakinis, viva muito / Pela bênção dos Senhores imortais! / E sempre rica de infinitas obras / Conceda sobre nós o esplendor das grandes bênçãos / Que gozam os senhores da clara luz!)

AS QUATRO INQUEBRANTÁVEIS PRÁTICAS DA MAGNÍFICA TRADIÇÃO SAKYAPA LAMDRE LOBSHEY
AS INSTRUÇÕES DE PROTEÇÃO DO VENERÁVEL VIRUPA,
CHAMADO O REMOVEDOR DE TODOS OS OBSTÁCULOS
Prosternação para os sagrados gurus!
Tendo reverentemente se curvado a Sri Virupa, que conquistou todas as assembléias de demônios (maras) e os de visão errônea pelo poder do seu conhecimento transcendental e método vajra, claramente siga as suas instruções:Permanecendo em um confortável assento durante a noite ou ao amanhecer, primeiro proceda com a oração de refúgio, a criação do pensamento de iluminação, e as quatro meditações ilimitadas.

No Buddha, Dharma e Excelente Assembléia
Vou por refúgio até que a iluminação seja alcançada.
Dedico o mérito produzido pela doação e semelhante
Pela salvação dos seres vivos de forma que eles atinjam buddheidade.

Possam todos seres vivos ter felicidade e as causas da felicidade;
Possam todos estar aparte da tristeza e da causa de tristeza;
Possam todos não estar separados da felicidade que é sem sofrimento;
Possam todos estarem livres de apego e ódio para o próximos e para os distantes, vivendo em equanimidade.

OM SVABHAVA SUDDHAH SARVA DHARMAH SVABHAVA SUDDHO HAM
Do reino de vacuidade no céu na frente da pessoa está um trono apoiado por leões adornado com jóias no qual está um loto e assento de lua.
Sentado ali está o reverendo Senhor do Poder, Virupa, cujo corpo é profundamente azul com uma face e duas mãos.
A palma da mão direita aperta o seu assento
e a sua mão esquerda está no gesto ameaçador levantada.
Com arrogante aparência, sua cabeça adornada com várias flores, ele usa um colar de guirlanda de flores
e está sentado na posição de pernas cruzadas de Vajrasattva.
(O colar se  estende da esquerda do pescoço para debaixo do braço direito, e ao redor do joelho direito).
Raios de luzes se emitem do seu coração, invocando do seu domicílio natural o Senhor da Ioga, cercado pelos meus gurus raízes de linhagem e pelas deidades tutelares, pela assembléia de deidades da mandala e por todos os buddhas e bodhisattvas.
OM VAJRA SAMAJAH  JAH HUM BAM HOH
Estes são não-dualmente absorvidos nele. Então peça:

Reverendo Senhor de Poder, Virupa, você que é a essência do corpo, voz, mente, qualidades e ações de todos os Buddhas dos três tempos colecionados em um, por favor, conceda suas bênçãos em meu fluxo mental.

Então mantendo firmemente a mente na vacuidade do som do mantra, recite:





OM VAJRA AMGULI
VAJRA KAPALI VAJRA DHINA BHANDHUHAR VAJRA PIAM HUCAMGE SARABHETANA KHAGE E AMGIMILI
LEGAPARTA TA ULA TIPATA
OM BHIRU WAPARA NAMO BADHANI WARANA
Assim sem interrupção através de outras palavras, recite o mantra tantas vezes quanto prometeu fazer. Então:
Eu tomo refúgio em Sri Virupa que é não-dual com todos os gurus; e que é o real corpo, voz, mente, qualidades e ações de todos os buddhas dos três tempos colecionados em um.
Oh protetor, tendo indistinguivelmente misturado sua mente e minha mente, me abençoe para que eu me torne como você, que é vitorioso sobre todas as direções.
Assim, como resultado de pedir fortemente:
Guru Virupa se absorve em mim. Eu me torno o reverendo Senhor do Poder, Virupa, sentado em um loto e trono de lua, corpo azul profundo com uma face e duas mãos. A palma direita da pessoa pressiona o assento e a mão esquerda da pessoa, está no gesto ameaçador com o braço esticado para cima. Com arrogante aparência, cabeça adornada com várias flores, uso um colar de guirlanda de flores e me sento na posição de pernas cruzadas de Vajrasattva.
Aqui siga vários exercícios que incluem práticas respiratórias, mudras e recitação de mantras. A pessoa pode gestualizar os mudras e pode recitar os mantras, mas não a prática respiratória a menos que receba detalhadas instruções relativas a isto de um professor qualificado.  

Visualize a si próprio como Virupa dentro do cakra de proteção comum, fora do qual é envolvido nas volumosas chamas do fogo de sabedoria primordial. Sem medo ou trepidação, desenvolva orgulho no pensamento de que não há ninguém maior do que a si próprio nos três reinos. 

Aja completamente da mesma maneira como Virupa. Ainda exalando vocalmente, visualize todas doenças, maus espíritos, demônios e obstáculos como sendo lançados longe.
Quando for incapaz de permanecer com a respiração exalada, puxe o ar e retenha a respiração pelo processo de apertar para baixo o ar superior e empurrar para cima o mais baixo ar.

Visualize a si próprio como sendo abraçado em todas as dez direções pelo fogo de conhecimento transcendental. 
Quando não for mais capaz de prender o fôlego, exale em uma segunda vez, ainda visualizando que são lançadas as duas ofuscações junto com tendências de cármicas para longe. 
Então novamente quando incapaz permanecer com o ar exalado, tome a respiração e a retenha  como previamente, apertando para baixo o ar superior e empurrando o mais baixo ar para cima.

Proceda deste modo tantas vezes quanto possível.

 Para proteger pelo três vajras: Aperte o dedo mindinho da mão esquerda com o polegar esquerda, enquanto segura os três dedos restantes estendidos e separados. Então com a mão esquerda: Tocando a testa, diga: AKSHEBHIMA  Tocando a boca, diga: PACHE UPANA  Tocando o coração, diga: SHILAPATHARA Tocando o umbigo, diga: HA U ACEU  Tocando o órgão secreto, diga: WAPA  Então novamente ainda tocando os níveis de ascensão:  No órgão secreto: BIRWA  No umbigo: PA  No coração: PRA  Na boca: SADHEM Na testa: SVAHA. Finalmente estale os dedos da mão esquerda. 

Para proteger com o mudra de ioga de proteção:  O vajra mudra de proteção que procede do coração e é libertado do ânus, deveria ser falado nos  dias de demônios: o 29º e 30º dia do mês lunar. Se é falado em outros tempos haverá obstáculos. Coloque os dois calcanhares dos pés juntos; os joelhos bem separados, e retenha a respiração pelo processo de apertar para baixo o ar superior e empurrar o mais baixo ar para cima. Junte as duas mãos na postura vajra junto com os dedos polegares,  médios e mindinhos juntos com suas pontas em uma posição estendida, e os dedos indicador e anulares dobrados. Continue com as mãos na postura vajra. Então recite os seguintes mantras mentalmente enquanto toca  lugares apropriados. Tocando os dois dedos polegares ao coração: AKSHEBHIMA  Tocando os dois dedos médios à boca: PACHE UPAMA  Tocando os dois dedos mindinhos no umbigo: SHILAPATHARA  Tocando os dois dedos médios no órgão secreto: HAUACEU  Tocando os dois dedos mindinhos no ânus:  WAPA  Assim os níveis de descida. Então novamente os níveis de ascensão:  Tocando os dois dedos mindinhos ao ânus:  BIRWA  Dois dedos medianos tocando ao órgão secreto: PA  Tocando os dois dedos mindinhos ao umbigo: PRA  Tocando os dois dedos polegares ao coração: SADHEM  Tocando os dois dedos medianos à boca: SVAHA Aqui a pessoa deve estalar os dedos. Novamente como antes, toque do coração até o ânus junto com os apropriado mantras terminando com libertar a respiração e estalar os dedos. Repita tantas vezes quanto instruído.  Então dedique a raiz de mérito para ganhar o estágio de buddhahood:
Por este mérito, tendo depressa atingido o estado do Senhor da Ioga, possa eu colocar no seu estágio os todos seres vivos sem exceção.
Eu claramente escrevi esta instrução especial, profunda, escondida. Quaisquer faltas que possam acontecer, possam o gurus e as assembléias de dakinis por bondade me perdoam e por grande compaixão concedam bênçãos sobre mim. Por qualquer mérito eu obtive por este esforço, mantendo firme de hoje até atingir os três kãyas, possa eu manter o tesouro do Senhor de ensinamentos de Yoga‘s e possam todos os obstáculos no caminho ser purificados. Tendo confiado nas exortações repetidas de Lama Kunga Legpa, ele que dominou a coleção de qualidades maravilhosas; tendo completamente reunido estas instruções dos vários escritos do Sagrado Sakya Gongmas e das sadhanas de Chogyal Phagpa e Karsha Kyadrag; e tendo adornado isto com as atuais práticas do Sagrado santo, o Sakya Bhiksu Kunga Zangpo, Detentor dos ensinamentos de Lamdre graças à bondade de Mahavajradhara Jetsun Togme Shab e outro gurus santo, escrevi esta sãdhana.  Tendo extraído isto dos dois, da prática comum e da proteção de  “Instruções da Proteção do Nobre Virupa‘s: o Removedor de Todos os Obstáculos” compôsto por Vajradhara (Ngorchen Kunga Zangpo), o professor de Kham, Ngawang Legpa o escreveu junto com algumas notas esclarecedoras. Na ocasião (dezembro 1975-fevereiro 1976) da transmissão do precioso Lamdre ensinado por Sua Santidade Sakya Trizin, Ngawang Kunga, sob o auspicioso do Sakya Dharma Centre em Rajpur, Índia, esta retribuição inglesa da proteção do Nobre Virupa foi completada por Thupten Chodak e Ngawang Samten Chophel. Pelo mérito obtido por isto, possam todos os seres entrar no caminho e atingir o resultado final de buddhahood.



INCOMUM PRÁTICA DE VIRUPA

Tendo-se curvado com respeito ao pai e filho - o auspicioso Senhor de Poder (Virupa), que é não-dual com o Sagrado Sakyapa (Kunga Nyingpo), escrevo estas instruções orais secretas.  O praticante que recebeu a iniciação e instruções deve proceder primeiro com a oração de refúgio e pensamentos de iluminação e os quatro meditações ilimitadas.

No Buddha, Dharma, e Assembléia mais excelente
Tomo refúgio até que a iluminação seja alcançado.
Dedico o mérito produzido pela doação e outras
Pela causa dos seres vivos de forma que eles atinjam buddheidade.

Possam todos seres vivos ter felicidade e as causas da felicidade;
Possam todos estar aparte da tristeza e da causa da tristeza;
Possam todos não estar separados da felicidade que é sem sofrimento;
Possam todos estar livres de apego para o próximo, e de ódio para os distantes, vivendo em equanimidade.
Então:
OM SVABHAVA SUDDHAH SARVA DHARMAH SVABHAVA SUDDHO HAM
(OM, todos os dharmas são puros por sua própria natureza. Eu sou puro por minha própria natureza)
Tudo se dissolve em vacuidade.
Do estado de vacuidade, na área central cercada pelos oito grandes cemitérios e em um assento de um krsnasara (animal como cervo), loto, lua e disco de sol, eu mesmo apareço instantaneamente como o Sagrado Senhor dos Iogues, Virupa, cujo corpo é vermelho escuro com uma face e duas mãos.

A minha mão direita está no gesto ameaçador com o dedo ligeiramente inclinado,
e a mão esquerda segura ao meu coração um crânio cheio de néctar.
Atrás eu me apóio na árvore que cumpre todos os desejos, o corpo virado ligeiramente e no modo de um rei brincalhão.
A boca e os olhos estão amplamente abertos, e a língua está enrolada para cima.
Sou adornado com os seis ornamentos de osso e várias flores coloridas amarradas na minha cabeça.
Atrás da pessoa está a excelente árvore que cumpre todos os desejos;
na frente um tridente vertical do qual se pendura um damaru;
à direita um vaso cheio de néctar no qual resta um crânio cheio de néctar;
à esquerda a cônjuge (possuindo todas as marcas da própria cônjuge) que segura um guarda-chuva;
e ao nível das sobrancelhas um cakra de proteção com a mansão celestial, no centro da qual está o santificado Hevajra junto com a mandala de nove de deidade.
Medite assim.
No centro do meu corpo da pessoa está a veia central avadhuti  possuindo os quatro aspectos.
À direita está a veia rasana e à esquerda a lalana.

No topo da cabeça claramente aparece a letra HAM,
na garga nta OM,
no coração HUM,
no umbigo AM,
e no lugar secreto HA.
Logo execute a retenção do vaso da respiração.


Assim:
Trazendo o mais baixo ar ao umbigo provoca o fogo que queima.
Isto entra no rasana e, logo que sobe.
São vistos claramente os cakras nos seus apropriados níveis.
O fogo que toca o HAM no topo da cabeça provoca que a bodhicitta se derreta e desça pelo lalana.
Logo que desce, são vistos claramente os cakras nos seus apropriados níveis.
Finalmente os ares do rasana e lalana junto com a bodhicitta entram pela abertura mais baixa do avadhuti.
Medite completamente que aquele fogo, ar, mente e gotas se dissolvem no avadhuti
e mantendo segura a retenção do vaso da respiração por tanto tempo quanto possível.
Deste modo, pelo entrar do ar e da mente na veia de avadhuti,
a experiência da fusão das felicidades e a vacuidade são produzidas.
Desta maneira, execute a retenção do vaso da respiração por tanto tempo quanto possível.

Por este mérito, tendo depressa atingido o estado do Senhor da Ioga, possa eu colocar no seu estágio os todos seres vivos sem exceção.


A MUITO CONCISA PRÁTICA DO EXTERNO PROFUNDO CAMINHO QUE É CONHECIDO COMO CONCESSOR DA EXCELENTE BÊNÇÃO
NAMO GURUVE
Se a pessoa desejar praticar o muito breve método da ioga do guru do profundo caminho exterior da fala preciosa, então deve contemplar as condições oportunas, o refúgio e o pensamento de iluminação assim:

Deste este tempo até a iluminação, eu e todos seres vivos tomo refúgio no Guru e Três Jóias preciosas. Para obter buddheidade perfeita pelo bem dos outros, praticarei esta prática de ioga profunda.

Recite três vezes.  Logo, para a real base da prática, visualize o campo de acumulação assim:

No céu na frente de si, numa nuvem de agradáveis oferecimentos à mente está um trono de leão, loto, disco de sol e os quatro maras. Neste trono o meu guru raiz está na forma de Hevajra com oito faces, dezesseis mãos e quatro pernas. Abraçando a cônjuge mãe Nairatmya, ele dança nos nove humores de dança. É marcado nos três lugares com as três sílabas vajra.
Os seus cinco agregados são os buddhas das cinco raças,
os seus cinco elementos são as cinco mães consortes,
os seus órgãos do sentido, juntas e tendões são os oito bodhisattvas,
nos seus dez lugares do corpo estão os dez coléricos poderosos,
e os objetos sensoriais indefinidos são as reais aenhoras vajra.
Ele é cercado por um oceano de assembléias de objetos de refúgio. Todos eles estão sentados na agradável forma de aparecimento não-dual e vacuidade.

Logo, suplicar com oração:
Para o precioso guru, coleção de todos os lugares de refúgio, mestre muito amável de dharma, que eu peço: Olhe-me com compaixão e bondade incomparável, e sempre me abençoe nesta vida, na próxima e no estado intermediário.

Assim recite tantas vezes quanto possível. Logo para abandonar os apegos, recite:
Causadas por minhas próprias corrupções, quaisquer coisas que possam aparecer, como meu próprio corpo e propriedade, meus inimigos, parentes e pais - todos esses eu ofereço ao mais excelente reverendo guru. Por favor, me abençoe suprimindo pensamentos de dualidade de sujeito-objeto.

Logo para fazer oferecimentos, recite:

Pela espada na mão direita da pessoa os agregados da pessoa são empilhados em um montão.
OM AH HUM HOH
Torna-se imaculado néctar. As senhoras de oferecimento emitidas do coração da pessoa, a deidade, oferecem isso ao guru e ao oceano da assembléia de lugares de refúgio. Por favor, conceda em mim as realizações espirituais excelentes e comuns.

As senhoras de oferecimento são absorvidas no guru raiz que causa imaculada grande felicidade para iluminar brilhantemente. O néctar restante satisfaz a todos os convidados, os seres dos seis reinos.

Para receber transmissões, realizações espirituais e se instalar a mente no estado de última realidade recite:

Os objetos de refúgio circunvizinhos são reunidos no guru raiz.
Das três sílabas nos três lugares do guru se emitem raios claros para adiante através de fases e simultaneamente, e são absorvidos em mim mesmo.

A pessoa obtém as transmissões que purificam ofuscações, as bênçãos, e os realizações espirituais.

O guru excelente e a própria mente da pessoa é indistinguível, sendo natural, inexprimível, claro e incessante.

Trazendo esta grande devoção no caminho, descanse no dharmadhatu, no estado de mahamudra que é destituído de meditação e meditador.

Assim recite e coloque a mente dentro um equilibrado estado de equidade. Se a pessoa desejar sair da sessão, recite:

Nunca estando separado do verdadeiro guru e possuindo a riqueza do brilhante dharma em toda vida, por bem realizar as qualidades das fases e o caminho, possa eu ganhar o estado de Vajradhara depressa.
Assim recite isto e qualquer outra dedicação de versos de mérito e orações um tatos são apropriados concluir a sessão, e assim entrar no caminho diário da pessoa.  Este ensino, escrito pelo guru reverendo, o defensor Jamyang Khyentse Wangpo, é um método muito breve de aplicar o ensino do onisciente Konchog Lhundrup. Por este mérito, possam os seres todo vivos ser colocados depressa na fase do grande guru Vajradhara. [Trad. Jay Goldberg, Friday Harbour].

A PRÁTICA DIÁRIA DO PROFUNDO CAMINHO RECORRENTE TRÊS VEZES CHAMADO A ESSÊNCIA DA JÓIA DO DETENTOR DO MAIS ALTO MANTRA

O que deseja praticar a Ioga do Caminho Profundo, enquanto recorrendo periodicamente três vezes deve executar como se segue:
Repita três vezes:
Eu tomo refúgio no guru e nas Três Jóias Preciosas, e por causa dos seres sensíveis eu meditarei o caminho profundo.

A pessoa aparece claramente na forma da deidade (yidam),
e na frente de si no céu em um trono apoiado por leão, loto e disco de lua está o guru da pessoa na forma do santificado Amoghasiddhi.

A cor dele é semelhante a uma esmeralda e ele se senta na postura vajra.
A mão esquerda está no gesto de meditação e a palma da mão direita, que está no gesto de dar proteção está um vajra cruzado.

No centro disto está uma jóia marcada com um SVA. Em um disco de lua no coração dele está um branco HUM do qual raios claros emitem adiante, enquanto invocando o, os conquistadores e seus filhos, todos que são absorvidos nele. Assim ele se torna o rei todo-suficiente, a combinação completa de todos os lugares de refúgio.

Tendo produzido este pensamento assim, recite o seguinte com devoção muito forte tantas vezes quanto a pessoa é capaz:

Eu me prosterno ao corpo do guru cujo corpo é a essência de todos os buddhas;
Eu me prosterno à voz do guru cuja voz é a essência de todos os buddhas;
Eu me prosterno à mente do guru cuja a mente é a essência de todos os buddhas.
Então visualize que de seu coração as aenhoras de oferecimento emitem:
OM GURU BUDDHA BODHISATTVA ARGHAM PADYAM PUSPE DHUPE ALOKE GANDHE NAIVIDYE SABDA AH HUM
Novamente visualize que aenhoras cujas mãos direitas seguram damarus e cujas mãos esquerdas seguram xícaras de crânio cheias de néctar, ofereça os oferecimentos internos:
OM GURU BUDDHA BODHISATTVA PANCHA AMRTA AH HUM
Novamente pense que essas aenhoras são absorvidas no guru. A bodhicitta localizada no HUM ao topo da [sua] cabeça tendo derretido assim, o guru fica contente com grandes felicidades que são o oferecimento secreto:
OM GURU BUDDHA BODHISATTVA BODHICITTA AH HUM
Então pense que a sabedoria primordial das felicidades não-duais vazias grandemente é aumentada no guru; assim o oferecimento da ipseidade [suchness.]
OM GURU BUDDHA BODHISATTVA A HO SUKHA AH HUM
Então peça:
GURU ABHISHINCA TUMAH
Raios claros se emitem adiante das três sílabas que OM AH HUM localizadas nos três lugares do guru. Eles invocam as bênçãos do três vajras de todos os Conquistadores e os seus Discípulos. Estes são absorvidos no guru. Os próprios três lugares da pessoa são marcados com as três sílabas.
A mão direita do guru toca isoladamente e então junto os três lugares da pessoa junto com a visualização seguinte:

Do OM na testa do guru raios de luz branca na forma da sílaba OM emitem adiante e são absorvidos na testa da pessoa. A consagração de consagração é obtida, são purificadas impurezas do corpo e a pessoa se torna a essência do corpo de todo o buddhas. O samadhi da fusão de aparecimento e vacuidade é produzido no fluxo de mente da pessoa.

Do AH à garganta do guru raios de luz vermelha na forma da sílaba AH emitem adiante e são absorvido na garganta da pessoa. A consagração secreta é obtida, são purificadas impurezas de voz e a pessoa se torna a essência das vozes de todo o buddhas. São produzidos o samadhi da fusão de claridade e vacuidade no fluxo de mente da pessoa.

Do HUM ao coração do guru raios de luz azuis na forma da sílaba HUM emitem adiante e são absorvido no coração da pessoa. A terceira consagração é obtida, são purificadas impurezas de mente e a pessoa se torna a essência da mente de todo o buddhas. O samadhi da fusão de pensamento e vacuidade é produzido na corrente mental.

Das três sílabas do guru vários raios claros coloridos na forma do três letras adiante e é absorvido nos três lugares da pessoa. A quarta consagração é obtida, são purificadas as tendências das ofuscações e a pessoa se torna a essência do três vajras de todos os conquistadores. O samadhi da fusão de felicidades e vacuidade é produzido no fluxo de mente da pessoa.

Finalmente o guru dissolve em luz que é absorvido em um si. A mente do guru e a própria mente da pessoa estão misturadas em um, de forma que a mente da pessoa se torna a grande mente completamente desenvolvida do guru.

Olhe para a face deste guru que é a essência da última verdade, o mahamudra que transcende o intelecto, a fusão de felicidades e vacuidade. Assim lugar a mente da pessoa sem esforço no estado de mahamudra - a luz clara da fusão do felicidade-vazio.
Em conclusão recite as orações seguintes e qualquer outra oração de dedicação e orações de presságios auspiciosos que são satisfatórios:
Em todo nascimento que nunca me aparte do real guru e por realizar o conseguimento do dharma magnífico e as qualidades das fases e caminho completamente, possa eu obter a fase de Vajradhara depressa.
Se uma pessoa pratica isto diariamente sem uma interrupção, então não serão prejudicados votos raiz  e secundários. Se a pessoa os prejudicar, então eles devem ser renovados depressa. Isto foi ensinado como a prática mais alta por Jetsun Dagpa Gyaltsen Rinpoche para esses praticantes de Vajrayana que desejam manter os votos Vajrayãna puros. Esta presente sadhana estava composto por Sakya Bhiksu Ngawang Legpa Rinpoche para simplificar a recitação para todo o mundo.

 

 

A PRÁTICA DE RATNASAMBHAVA

NAMO GURUBHYAH
(Prostrações para o Gurus)
Desejando fazer a prática da Ioga do Guru Ratnasambhava Glorioso e Supremo deve em primeiro lugar tomar refúgio e deve desenvolver bodhicitta.
Eu e todos os seres sensíveis igual aos limites do espaço,
de ora em diante até que a essência do Iluminação seja alcançada, diante da quintessência do corpo, voz, mente, qualidades e ações de todos os tathagatas que moram nas dez direções e nos três tempos,
diante da fonte dos oitenta e quatro mil artigos da doutrina, diante do mestre das assembléias nobres, diante de toda a raiz de gurus de linhagem:
Nós tomamos refúgio venerável sagrado guru,
Nós tomamos refúgio nos realizados santificados buddhas,
Nós tomamos refúgio nos sagrados ensinamentos,
Nós tomamos refúgio na nobre assembléia.
Assim recite tantas vezes quanto possível e então com as mãos postas diga:
Ao Guru e Três Jóias preciosas  eu me curvo e neles tomo refúgio. Por favor abençoe minha corrente contínua mental.
Imagine que os objetos de refúgio se dissolvem em luz que é absorvido em si. Tendo feito isto então recite:
OM SVABHAVA SUDDHAH SARVA DHARMAH SVABHAVA SUDDHO HAM
(OM!, todos os dharmas são puros através de ego-natureza; eu sou puro através de ego-natureza)
Fora do estado de vacuidade, lá surge um chão de safiras azuis frescas que estão enfeitadas pelo cruzado de água de Jambu. No centro está um lago precioso que é vasto e extenso.

No centro está um trono vasto e espaçoso de jóias no qual está um multi-colorido oito-petalas loto e um sol e um disco de lua.
Em cima deste o guru glorioso e venerável é Ratnasambhava com uma face duas mãos, da cor do ouro mais precioso.

A mão direita dele está no gesto de conceder realização suprema que causa chuva de todos os desejos.

A mão esquerda dele está na postura de meditação.

Ele está sentado na posição de vajrasana. Ele é adornado com artigos de vestuário preciosos e ornamentos.

A natureza dele é a natureza da luz e radiando luz.

Ele é rodeado por um acompanhamento inconcebível de gurus raiz e de linhagem, buddhas, bodhisattvas, viras, Dakinis, yaksas, deidades de riqueza e detentores de tesouro.

De todas estas deidades corpos uma luz amarela muito luminosa emana que toca a si e a todos os seres sensíveis, aumentando o tempo de vida, mérito, riqueza, sabedoria, atividade e qualidades.
OM GURU RATNASAMBHAVA SAPARIVARA ARGHAM PADYAM PUSPE DHUPE ALOKE GANDHE NAIVIDYE SABDA MAHA SARVA AMRTA BODHICITTA AU HO MAHA SUKHA AH HUM
Logo recite a Oração de Sete Membros três vezes:



Na Tríplice Jóia preciosa eu tomo refúgio e confesso todos os pecados individualmente.Eu me alegro nas ações virtuosas de todos os seres, e me lembro da Iluminação de todos o buddhas.Em Buddha, Dharma e na Comunidade mais excelente eu tomo refúgio até que a Iluminação seja alcançada.Para realizar meu próprio e dos outros benefícios, eu produzo o pensamento de Iluminação.Tendo produzido este excelente pensamento de Iluminação eu convido todos os seres.Pratico o agrado e suprema Iluminação e dedico que todos os seres possam alcançar Iluminação.Então ofereça para a mandala de sete montes três vezes ou tantas vezes quanto possível.



















OM VAJRA BHUMI AH HUM. A completamente pura base é a terra dourada vasta e larga.OM VAJRA REKHE  AH HUM. No centro é HUM cercado por uma cerca férrea. Aqui é a rainha das montanhas, Monte Sumeru, o continente oriental, Purvavideha, o Jambudvipa continente sulista, o Aparagodaniya continente ocidental, o Uttarakuru continente do norte, o sol e a lua. Este oferecimento mais perfeito da riqueza de senhores e homens eu ofereço à raiz sublime e gloriosa de gurus de linhagem, para a assembléia de yidam de deidades de madala, para os buddhas e bodhisattvas, para os protetores que guardam o dharma santo, e para os senhores poderosos de riqueza. Por favor, aceitem por compaixão por causa de seres. Tendo aceitado isto, por favor, concedam suas bênçãos.


Então reze com o inteiro coração pela coisa que deseja atingir, enquanto diz:
Guru glorioso e supremo, Ratnasambhava, por favor, abençoe minha corrente contínua mental. Que você possa abençoar-me limpar e purificar todos os sofrimentos de pobreza, destituição, fome e sede desde sem começo das vidas. Por favor, me abençoe sempre para aumentar meu tempo de vida, mérito, poder, fama e todas as qualidades de realização espiritual.
Da mão direita do guru que está no gesto de conceder realização suprema de lá cai uma chuva de todos os desejos que se tornam realidade, enquanto cumprindo as esperanças inteiras da pessoa e expectativas. O guru excelente, junto com toda a sua companhia, se dissolve em luz e é absorvido em mim. O corpo da pessoa, fala, mente, qualidades e atividades se fundem em um gosto com o corpo santo do guru, fala santa, mente onisciente, qualidades e atividades iluminadas.
Eu mesmo, na forma do guru supremo-guru Ratnasambhava no mudra de realização, causa uma chuva de satisfação de desejos. Esta é a satisfação de todos os desejos dos seres sensíveis iguais aos limites do espaço.
Todos os seres sensíveis se tornam Ratna guru Ratnasambhava e novamente concedem a si mesmos todos os conseguimentos [siddhis] que desejarem.
Pense:
Se a pessoa examinar muito cuidadosamente estes pensamentos, não há nada senão a reflexão da própria mente da pessoa. A natureza da mente é clara e vazia, e a manifestação dessas duas está além da expressão.
Assim permaneça no estado de equilíbrio meditativo por tanto tempo quanto possível. Deixe que o corpo e a mente sejam naturais sem qualquer adesivo. Em conclusão recite orações de dedicação e versos auspiciosos como:
Possa eu nunca estar separado do guru perfeito, desfrutando a riqueza do dharma em todas as vidas. Possa eu atingir a fase de Vajradhara depressa, completando as qualidades dos bhumis e caminho completamente.
Todos os seres possam desfrutar da riqueza inesgotável como tesouro do espaço. Que eles possam desfrutar livremente sem conflitos e violências.
Esta é a prática para uma única sessão. Se a pessoa faz esta prática com grande diligência, cuidadosamente e repetidamente, quatro vezes por dia durante uma semana ou três semanas, inclusive oferecimentos de mandala e pedidos, então a pessoa poderá ou experimentar diretamente os sinais de realização de aumento ou experimentar isto durante sonho. É dito que aquele poderá depressa chegar ao estado de Vajradhara e atingir os sinais de perfeição dentro de um mês. Então a pessoa tem que praticar muito duramente. Se a pessoa faz isto com grande devoção na prática de Guru Ratnasambhava  poderá realizar os siddhis.
Esta prática é a essência do coração dos ensinamentos dos Sakyapas imaculados e estava composta por Tsarchen Losal Gyatso, o Proprietário do Tesouro da linhagem sussurrada. Foi traduzido em inglês por Lama Thupten Chodak em Sakya Tenphel Ling.
ORAÇÃO DE LONGA VIDA DE SUA SANTIDADE SAKYA TRIZIN:
Glorioso, grande e precioso Mestre-raiz
Em lótus sobre minha cabeça
Nosso adorno na extrema compaixão
Abençoe-nos corpo, palavra e mente.
Na guarda da roda protetora
Sete olhos garantem sua vida
Muitos garantem sua vida
E o protegem dia e noite.
Divino Caminho de Padmasambava
Sabedoria amorosa, radiante poder
Flor dos Sakyas, no espelho das palavras
Mestre de Quatro Mundos, viva longamente.
Ngawang Kunga, divina família Khön
Alegria e benefícios traz para todos
Reitor do caminho grande e secreto
Rei, poderoso rei dos nossos desejos
Por favor viva longamente.
Meditando, orientando e ouvindo
Sobre base de ouro moral
Ensinando, debatendo e compondo
Real Refúgio, viva longamente.
Como segundo Buda mestre do Lan Dré
Caminho validado das palavras
Ensine dos Cinco Sakyas fundadores
Você que fala como Buda, por favor
Viva longamente
Sua presença embeleza este mundo
Possui o poder temporal dos Sakyas
Irradia dos Sakyas as obras de beleza
Como um Vajra, Três Segredos, viva longamente.
Tríplice Gema, Mestre compassivo
Ydam e Protetor cheio de força
Profundo, inamovível, verdadeiro
Por tais poderes nossos desejos realizados.
Pelas bênçãos da Tríplice Gema
Pelo poder dos mais virtuosos
Pela linha dos Possuidores de Manjushri
Viva muito suas obras cresçam como Budhas.
Pedindo pela saúde de nossos mestres
Pedindo pela infinita vida de nossos mestres
Pedindo que suas obras aumentem
E se espalhem no universo
Que não nos apartemos deles nunca
E que eles nos abençoem.
Que tenham firmes suas vidas como montanhas
Que os Ensinamentos continuem como estrelas
Que fama e glória preencham todo o espaço
E através de suas obras todos nós sejamos felizes.